Naruto Player RPG | sua experiência no mundo de Naruto
Seja bem vindo ao Naruto Player RPG, se cadastre agora e venha jogar um RPG onde você poderá interpretar seu personagem favorito de Naruto, não perca tempo venha jogar conosco.

Logue-se já!

Esqueci minha senha




Nas ultimas horas...
EdwardSalazar
Hoje à(s) 08:59
 
Youko
Qui 25 Maio 2017, 02:03
 
Youko
Qui 25 Maio 2017, 01:43
 
Ezreal
Qui 25 Maio 2017, 00:31
 
Youko
Qui 25 Maio 2017, 00:25
 
Ezreal
Qua 24 Maio 2017, 22:33
 
Shinki
Qua 24 Maio 2017, 21:42
 
Nanashi
Qua 24 Maio 2017, 21:34
 
Nanashi
Qua 24 Maio 2017, 20:58
 
Quem mais postou nessa semana...
Top dos mais Postadores!
Hinara (1230)
 
River (1209)
 
Youko (1005)
 
Big Boss (910)
 
Modake (908)
 
Whisper (643)
 
Yuu (615)
 
Kazuaki Yuki (613)
 
Ezreal (606)
 
Allen Walker (577)
 


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Área de Treinamento para membros Taka

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Área de Treinamento para membros Taka em Qui 16 Abr 2015, 22:13

Área para Treinos

Localizada na parte mais profunda da caverna existe uma área bem grande, plana. Alguns fósseis podem ser encontrados ali sobre a entrada. Os únicos com acesso a este lugar são os membros da Taka. Foi escolhida para ser o local para treinos dos membros por ser localizada no área mais funda da caverna, abafando o som de qualquer explosão ou jutsu, não chamando atenção de viajantes curiosos que passarem pelas redondezas.

2 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Sab 18 Abr 2015, 19:05

Local do treino: Área de Treino Taka.
Objetivo do Treino: Buscar novas técnicas.
Jutsu Aprendido:


Raiton - Jibashi
(Elemento Trovão - Assassinato Eletromagnético)
Quem Usa: Fuuka
Rank: S
Nota: Essa técnica pode ser usada em conjunto com o Suiton - Ja no kuchi.
Nota²: Não existe no mangá.
Primeira Aparição: Episódio 66 Shippuuden
Descrição: Parecido com o Chidori Nagashi, o usuário faz os selos necessários,
fazendo com que o campo seja totalmente envolvido com uma aura
eletromagnética, que se atingir seu adversário em um ponto vital do
corpo mata o adversário, se não o deixa inconsciente.


Suiton - Baku Suishouha
(Elemento Água - Ondas de Colisão da Água Explosiva)
Quem Usa: Senju Tobirama, Hoshigaki Kisame, Mukade, Momochi Zabuza
Primeira Aparição: Capítulo 256
Rank: A
Descrição: O Suiton - Baku Suishouha é uma técnica onde o usuário cospe um grande volume de água da sua boca, engolindo e esmagando o inimigo com uma enorme onda. O usuário pode montar na onda, permitindo-lhe mover-se em alta velocidade, e atacar o inimigo, agora empurrado pela água, sem medo de contra-ataques. A quantidade de água criada é proporcional à quantidade de chakra utilizado; quando usado com o chakra enorme de Kisame, mesmo um grande deserto pode se tornar um pequeno oceano. Em seguida, o excesso de água pode ser usado para as técnicas de Suiton adicionais. No anime, Nagato realiza esta técnica com o Caminho Deva, porém ele o usa perfurando o chão para a água jorrar, em vez de cuspi-la de sua boca.


Suiton - Suijinheki
(Elemento Água - Formação da Parede de Água)
Quem Usa: Senju Tobirama, Darui, Hatake Kakashi, Kakuzu, Yamato, Hiruzen Sarutobi e Suigetsu Hōzuki
Primeira Aparição: Capítulo 120
Rank: B
Descrição: Esta técnica defensiva cria uma parede de água ao redor do usuário. Ataques inimigos são completamente interceptados por uma cerca de água soprada para fora da boca, e é disparado para baixo com tremenda força. A água é soprada para fora na forma de um círculo em torno do usuário, e faz uma defesa, sem aberturas. É também possível para o utilizador controlar a quantidade de água e duração à vontade. A força da parede e mudança de resistência seguindo a quantidade de chakra derramado para dentro da água, assim um shinobi habilidoso será capaz de construir uma resistente. Além disso, já que o campo de visão é mantido mesmo enquanto a defesa pode facilmente ir para o próximo passo, é uma grande vantagem. A parede também pode ser formada a partir de uma fonte de água de pré-existente. Tobirama Senju foi capaz de produzir uma sem uma fonte de água pré-existente, que era uma prova de sua habilidade e uma das razões pelas quais ele foi escolhido como Hokage. No mangá, a sequência de selos de mão para esta técnica termina no mesmo selo que ativa o Byakugan, embora Tobirama só precisa de um para usar esta técnica. Além disso, o anime cria um conjunto completamente original e muito mais elaborado de selos da mão quando Tobirama usa-a de forma a colocar a mão direita sobre a mão esquerda com um polegar para cima.


Kage Bunshin no Jutsu
(Técnica dos Clones das Sombras)
Quem Usa: Uzumaki Naruto, Sandaime Hokage, Uchiha Itachi, Hatake Kakashi, Namikaze Minato, Shizune, Nagato e Sarutobi Konohamaru.
Rank: B
Primeira Aparição: Episódio 1 Naruto Clássico
Descrição: Técnica que permite ao ninja criar clones reais (cópias reais) requer uma
grande quantidade de chakra, pois o chakra do usuário se divide
igualmente entre todos os clones. Estes clones podem até auxiliar em
jutsus, como o rasengan de Uzumaki Naruto, e também fazer jutsus
independentemente, pois como são cópias reais têm também sistema
circulatório de chakra.


Juukenhou - Hakke Sanbyakurokujuuichi Shisa
(Área Gentil dos 8 Triagramas, 361 Pontos)
Quem Usa: Hyuuga Neji
Rank: S
Descrição:Eleita como uma das melhores técnicas do Clã Hyuuga, a técnica consiste
em fechar os 361 Tenketsus do corpo do inimigo. O Shinobi (Ninja) corre
em linha reta e desfere um poderoso soco de mão aberta, e essa palmada
lança uma quantidade enorme de Chakra, fechando todos o Tenketsus com um
único golpe, podendo assim matar o oponente. Esse golpe faz uma
explosão imensa destruindo o oponente por dentro.


Juukenhou - Hakke Hyakunijuuhachi Shou
(Estilo do Punho Suave: 8 Trigramas 128 Golpes)
Quem usa: Hyuuga Neji , Hyuuga Hiashi
Rank: S
Descrição:
É uma variação do Juukenhou: Hakke Rokujuuyon Shou, uma técnica passada
pela Família Principal do Clã Hyuuga. Quando um oponente está dentro do
alcance de ataque é praticamente impossível escapar ou defender os
ataques. Com o Byakugan, o Shinobi (Ninja) pode ver os Tenketsus, e com
isso ataca:
Dois golpes - Total de dois golpes (Ni Shou)
Mais dois golpes - Total de quatro golpes (Yon Shou)
Mais quatro golpes - Total de oito golpes (Hachi Shou)
Mais oito golpes - Total de dezesseis golpes (Juuroku Shou)
Mais dezesseis golpes - Total de trinta e dois golpes (Sanjuuni Shou)
Mais trinta e dois golpes - Total de sessenta e quatro golpes (Rokujuuyon Shou)
Mais sessenta e quatro golpes - Total de cento e vinte oito golpes (Hyakunijuuhachi Shou)
Desse
modo ele fecha os 128 dos 361 do Tenketsus, pressionando-os com 128
ataques, fechando grande parte da circulação de Chakra e causando dano
espantoso ao corpo do oponente. Hyuuga Neji utilizou essa técnica para
acertar múltiplos inimigos, distribuindo ataques entre eles.

http://i.imgur.com/kbkdqLl.png " alt="" />
Suiton - Ja no Kuchi
(Estilo Água - Boca da Serpente)
Quem Usa: Fuuka
Primeira Aparição: Episódio Filler 66 (Shippūden)
Rank: B
Descrição: O usuário gera uma coluna de água giratória que toma a forma de uma serpente com grandes presas. A serpente pode perseguir e engolir seus alvos para afoga - los. Depois de engolir o oponente, a serpente se desfaz e cria um grande rio que carrega a vítima para longe. Foi mostrado que a serpente pode emergir de qualquer parte do campo de batalha, inclusive paredes ou mesmo o chão.

Números de Palavras: No mínimo 2750.
Regra de Treinos: Treinamento de Jutsus, Treinamento de Bijuus

Hinara estava para ali.  Sozinha. Pensando. Era hora de testar seus limites, ultrapassá-los na verdade. Uma gota de suor escorreu em sua face, da testa até as maçãs coradas de seu rosto. Havia dois pequenos pedaços de papel próximo a seus pés. Eram papeis de chakra, um estava se desfazendo, parecia até terra e o último amassado.  Doton e Raiton. A jovem agora era usuária de três elementos e mais que nunca precisava desenvolver suas habilidades. Precisava treinar.  Aprender, se fortificar.  Já haviam se passado alguns dias desde que ela deixara Suna, com certeza já haviam a dado como desaparecida ou até mesmo, foragida. Isso com certeza. Ela havia mudado o cabelo, não cortou mais.  Estava mesmo determinada a mudar o rumo da humanidade e buscar a paz acima de qualquer coisa, mas para isso, precisava estar mais forte que nunca. Cada dia que se passava ela se dedicava mais e assim, ficava mais forte. Ela podia sentir seu chakra se agitar, sentia-se diferente. Precisava estar para poder ajudar Allen a recrutar mais pessoas para unir-se a causa, para isso precisava mostrar que ela não era como os outros,  ela precisava impor medo, respeito.
Já era quase noite, ela estava ali treinando desde que acordara, estava exausta, mas não iria sair dali sem ter mais poder.  Já havia tentado aquela sequência mais de uma vez e aquilo a estava esgotando. Não sabia mais como realizá-la ou o que fazer para que ela desse certo.  
Agora era a hora dela. Hora de buscar a paz o mundo ninja. A paz seria alcançada nem que fosse pela força, m as pessoas precisavam ver no que a guerra levaria essa nação. Ela precisava mostrar ao mundo que o poder resulta na paz. Unir o mundo em uma só nação. Uma forma de manter todas as vilas em paz, em um tratado. Presos por terem ninjas seus em uma organização onde há ninjas de outras nações também. Trabalhando em conjunto.
Não sabia mais como fazer para que concluísse aquela sessão de treino, pois ela havia prometido sair dali apenas após dominar todas aquelas técnicas. O futuro dependia dela, dependia daquele momento. Dependia apenas do seu esforço em dominar o máximo de técnicas possíveis. Ela não deixaria o legado daquele Hyuuga morrer, nem o da sua família. Era ela, junto a Taka, que deveria salvar a humanidade do ódio eterno. Era ela que havia prometido a Allen que seria a ponte que o levava ao seu sonho.  Se ela realmente queria que os planos do jovem Hyuuga dessem certo, ela deveria primeiramente então,  tornar-se o mais forte possível para recrutar novos membros e assim começar a colocar em prática a segunda etapa do plano.

As lembranças eram algo que não paravam de brotar em sua mente.
Ela estava parada. Seu corpo estava coberto por poeira e suor. A respiração estava mais ofegante que minutos atrás as lembranças mexeram com ela e isso a desestabilizou. Lembrar-se de tudo que havia passado simplesmente a deixou sem estrutura naquele pequeno e insignificante momento.

O local do treino era uma caverna com apenas uma entrada. Localizada na parte mais profunda da caverna existe uma área bem grande, plana. Alguns fósseis podem ser encontrados ali sobre a entrada. Os únicos com acesso a este lugar são os membros da Taka. Foi escolhida para ser o local para treinos dos membros por ser localizada no área mais funda da caverna, abafando o som de qualquer explosão ou jutsu, não chamando atenção de viajantes curiosos que passarem pelas redondezas. Os arredores eram planos, solo de pedra, liso, excelente para correr e treinar. Era meio escura e quente, a única entrada de luz era pela entrada da caverna. Os longos cabelos da jovem se esvoaçavam com a brisa suave que entrava ali. Seu corpo quente se arrepiava quando era afagado por ela, era quase como uma lâmina de uma katana aquela brisa, gelada.  Ela precisava desenvolver o máximo possível seu olhos e suas outras habilidades também. Naquele momento queria treinar ninjutsus elementais, explorar o máximo que pudesse dos pergaminhos que ela achara sobre a mesa da sala de reunião.  Ela estava ofegante e sentia seu coração bater cada vez mais forte. Cada membro do seu corpo latejava como nunca antes.
Ela estava de pé frente a quatro fantoches de palha com um alvo amarrado na barriga. Eles eram usados por ninjas para pratica de kunai e shuriken, mas ela os usava como alvo para ninjutsu. A distância entre eles era de seis (12) metros e ela acabara de se posicionar. Allen estava do seu lado praticando também, ela não queria fazer feio, iria mostrar a ele do que era capaz naquela hora. Do quanto estava disposta a depositar seus sonhos e forças nele.

Ela analisava cada um deles balançando de um lado para o outro, eram presos por pedaços de madeiras e isso dificultava um pouco o acerto. Seu corpo ereto e suas mãos juntas frente aos lábios com o "in". A jovem começou a se locomover rapidamente. Era quase impossível ver suas pernas, a velocidade era mesmo incrível. Em instantes ela já estava bem próxima aos fantoches. Ela seguia em direção a eles, aos fantoches, realizando uma cruz com os dedos indicador e médio de ambas as mãos. -Kage Bunshin no Jutsu -. ela criou dois clones, idênticos a ela e com os movimentos em total sincronia. Cada Clone se posicionou e a verdadeira ficou no meio com os dois em suas lateras dois metros à frente. Ela que estava no meio realizou uma sequência de selos e gritou. - Suiton - Baku Suishouha - ela abriu a boca e dela começou a sair uma enorme quantidade de água e assim a caverna começou a ficar submersa e todos a flutuar sobre a água. O da direita realizou uma dose de selos e sussurrou. - Suiton - Suijinheki. - uma grande parede de água se formou em volta dela e de todos os dois clones. A parede os protegia de todos os lados tanto na frente como nos lados. O segundo clone não queria apenas ficar assistindo, na verdade ele não podia. - Suiton - Ja no Kuchi  – uma coluna de água giratória que tomou a forma de uma serpente com grandes presas. Saiu de dentro da parede água e seguiu em direção aos bonecos. Ele fez um giro de trezentos e sessenta graus e os envolveu de uma só vez.  Ambos os alvos estavam envoltos pelo corpo da serpente de água. O sorriso nasceu em seu rosto e ela estendeu ambas as mãos em direção ao “dragão de água”.- Raiton-Jibashi. – . com suasmãos abertas com as palmas viradas em direção a água ela se concetra canaliza seu chakra para as mesmas e uma grande quantidade de energia desceu sobre o local desejado. Os raios nasciam da ponta de seus dedos, eles eram visíveis e continham neles muita energia, eram pequenos e finos, não aparentavam grande poder de ataque, mas eram capazes de tostar um ser humano e com a água sendo seu condutor de energia, era realmente morte na certa, isso "se" fossem humanos. Havia dado certo dessa vez. A muralha caiu, e o local parecia uma praia agora, a caverna estava quase submersa.

Os fantoches não se moviam por não ter vida, mas por um minuto ao olhar ela foi capaz de ver cadáveres sobre a água, mas esfregou os olhos e piscou algumas vezes no intuito de averiguar se estava delirando e concluiu que era apenas uma alucinação. Os bonecos estavam flutuando imóveis, mas uma grande quantidade de fumaça saía deles como se estivesse mortos. ”.- Raiton-Jibashi. – .  A Hyuuga se concentrou e buscou aquelas gotas de chakra que ainda restavam em seu corpo. Sentiu o mesmo queimar dentro dela, era o desejo desenfreado por poder e por não desistir que a fez resistir a aquela situação. Ela bateu as palmas das mãos e as juntou, permaneceu assim enquanto falava o nome do jutsu utilizado, logo após a pronuncia do mesmo ela as estendeu sobre a superfície da água. Naquele instante suas mãos se estenderam sobre a água e manaram eletricidade por seus dedos. Então com os alvos boiando sobre á superfície cristalina da água, ela utilizou o que lhe restava de chakra para finalizar. Um último saque de chakra, com uma última seqüência de selos, ela ofegante, tremendo. Ainda agachada sobre o pilar de pedra feito por ela para usar como apoio. Seus longos cabelos se esvoaçavam contra seu rosto, aí então ele teve que encher seus pulmões de ar, teve que respirar muito fundo até seu tórax estar completamente estufado e seus pulmões lotados de oxigênio, pois estava esgotada. Naquele momento seus cabelos estavam todos voando na direção oposto ao fogo devido ao vento criado pela força do jutsu. Nada mais deles sobrou, dos alvos, apenas as cinzas espalhadas pelo chão. Não havia mais indícios de água ali, a terra havia absorvido tudo com o tempo, foi rápido, sinal que poderia haver um lençol freático ali embaixo e isso a deixou um tanto tranquila. O solo que era úmido estava quente e seco agora. O calor do jutsu tornou a caverna mais quente e isso forçou o corpo de Hinara a transpirar mais um pouco. Esgotada. Acabada. Sem força. Debilitada. Era assim que ela se encontrava naquele momento. Aos poucos ela sentiu sua visão falhar, seus olhos haviam mudado de cor e ela nem percebera. A única coisa que ela estranhou durante o treino foi que podia saber para que lados os impactos lançassem os fantoches e os via bem nitidamente. Naquele momento seus olhos voltaram ao seu prateado natural e a imagem da entrada da caverna pareceu se distanciar. A luz do lado de fora da caverna pareceu perder o brilho. Ela estava tão exausta que não seus olhos se recusavam a obedecê-la e focar em alguma coisa. Aos poucos suas vistas foram escurecendo e enfim apagou. Seus pés se desprenderam da parede do chão e a força a abandonou, não havia mais chakra para mantê-la ali de pé, então ela despencou ao chão abaixo. A velocidade da queda foi aumentando e enfim ela se chocou com o chão, mas segundos ela pode sentir alguém a segurando.

Felicidade.

Era isso o que ela sentia naquele momento fora a dor? Mas o que é a felicidade?
Mais uma vez volto a me perguntar.
A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo. Agora, eu como narrador não posso afirmar quanto tempo essa alegria vai durar, mas posso deixar aqui para você que está lendo o meu ponto de vista sobre tal assunto. Bom, eu acredito que nossa vida é uma busca. Uma busca incessante pela felicidade. Ela não tem data de validade nem data definida para começar ou acabar, ela simplesmente se instala em nossos corações e fica ali até nós tomarmos uma nova decisão. Essa por sua vez pode ser boa e fazer esse sentimento se prolongar ou, podemos escolher algo ruim que possa deixar a felicidade correr em nossa frente e depois para alcançá-la, pode ser demorado ou quem sabe, não é?Pode ser rápido.
O quão longe um indivíduo poderia ir por um outro alguém? Onde encontram tanta força para protegerem quem ama? O quão poderoso é o laço que uni duas almas? Estas perguntas martelavam um fino prego sobre a própria existência do universo, afinal, qual seria o limite de uma existência terrena? Poderiam os meros mortais desbravarem o campo da quarta dimensão e desafiar a própria morte? Poderiam eles contrariarem um Deus?! Isso nos redirecionaria a outra grande pergunta, o que é um Deus? Seria algo tão imensurável que os humanos não podem nem ao menos se perguntar? O QUE É UM DEUS? "Um Deus é algo tão grande que os humanos não podem entender, não podem nem sequer tentar compreender". Essa é a definição de um ser celestial tão incontestável como a imortalidade, a força mais bela e imponente da natureza, algo que todos os Deuses possuem... Mais acredito, na verdade me fizeram acreditar, que todos os humanos possuem algo de imortal escondido em seus corações, algo que os faz tão grandes quando os celestes, algo que supera a penta-dimensão, então de certo modo, todos os humanos também possuem um pequeno Deus dentro de si. A existência da vida, algo que podem fazer queimar tão intensamente que em um último suspiro podem atingir à uma fração dessa imortalidade... Mais apesar de tudo, continuam a serem apenas mortais, fracos e pequenos, gananciosos e injustos, apenas homens. Mais o que é um homem se não uma pequena e miserável pilha de segredos?

A extensão complexa dos derivados celestiais atordoava a cabeça de Hinara, humanos estavam dispostos a morrerem por seus iguais sem sequer se questionar. Aquilo o fazia enxergar a própria existência com outros olhos. Emergia do barro como seus antepassados fizeram, mostrava-lhe sua face ao sol, seus soldados vieram do pó e ao pó voltaram, excepto um, um único ser que residia em sua sombra; com seus cabelos balançando ao vento avermelhados como sangue, um olhar calmo e sereno mais que já cultuaram o ódio e a guerra. Um filho do Deserto, é o que ele era, é o que ele sempre será. Temam diante seu lorde, temam diante a morte.
O vento soprava.
Palavra eram ditas.
Carregadas pelo ar.
Ela estava acordando, nos braços da felcidade, se colocou de pé e se viu perante um amigo.
Sim aquele alvo dos treinos em suna, então ela se colocou de pé,  sacudiu a cabeça e se posicionou. Ela respirou fundo, sentiu o chakra fluir por todo seu corpo e abriu os olhos. - Byakugan! - ela disse ao ativar o mesmo, abriu os braços, estendeu o direito frente ao corpo e o esquerdo mais alto na parte de trás do mesmo, abriu as pernas no mesmo movimento e então disse devagar e pausadamente. - Juukenhou - Hakke Rokujuuyon Shou. - e rapidamente pôs se a correr de encontro ao alvo. Hinara que estava a quase três metros do alvo, no caso o cartaz, já estava posicionada a frente do mesmo, direcionando os  golpes, mas dessa vez ela falava enquanto acertava o alvo. - Hakke Ni Shou. - Dois golpes e ela continuou. - Yon Shou! - a voz dela era firme. - Hachi Shou! - estava mesmo determinada e o barulho do impacto de seus ataques estavam cada vez mais altos. - Juuroku Shou. - e a velocidade aumentou enfim ela aumentou também seu tom de voz. - Sanjuuni Shou! - e ela não parou, o jutsu consentia em apenas continuar a atacar os pontos certos. - Rokujuuyon Shou! – continuou ela acertando o alvo. - Hyakunijuuhachi Shou. -.
Dois golpes - Total de dois golpes (Ni Shou)
Mais dois golpes - Total de quatro golpes (Yon Shou)
Mais quatro golpes - Total de oito golpes (Hachi Shou)
Mais oito golpes - Total de dezesseis golpes (Juuroku Shou)
Mais dezesseis golpes - Total de trinta e dois golpes (Sanjuuni Shou)
Mais trinta e dois golpes - Total de sessenta e quatro golpes (Rokujuuyon Shou)
Mais sessenta e quatro golpes - Total de cento e vinte oito golpes (Hyakunijuuhachi Shou)

Desse modo ele fecha os 128 dos 361 do Tenketsus, pressionando-os com 128
ataques, fechando grande parte da circulação de Chakra e causando dano
espantoso ao corpo do oponente. No caso do alvo, apenas o destroçou, deixando-o em pedaços.
Ela saltou e não parou por ali.
- Juukenhou - Hakke Sanbyakurokujuuichi Shisa. – ela veio correndo e com um golpe só acertou o centro do boneco onde seria o tórax. O boneco ficou destroçado. Em pedaços. Cacos.
Eleita como uma das melhores técnicas do Clã Hyuuga, a técnica consiste
em fechar os 361 Tenketsus do corpo do inimigo. O Shinobi (Ninja) corre
em linha reta e desfere um poderoso soco de mão aberta, e essa palmada
lança uma quantidade enorme de Chakra, fechando todos o Tenketsus com um
único golpe, podendo assim matar o oponente. Esse golpe faz uma
explosão imensa destruindo o oponente por dentro.
Agora ela estava armada e equipada com jutsus poderosos... Poderia enfrentar muita coisa. Poderia estar diante de uma luta incrível que seria capaz de se virar.
“A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo.”
Vale resaltar como ela se sentia...estavam em êxtase, então sabia que a busca pela paz estava mais próxima de ser concluída agora.
A palavra quando é criação desnuda. A primeira virtude da poesia tanto para o poeta como para o leitor é a revelação do ser. A consciência das palavras leva à consciência de si: a conhecer-se e a reconhecer-se.



Última edição por Hinara Hyuuga em Seg 20 Abr 2015, 11:29, editado 1 vez(es)

3 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Seg 20 Abr 2015, 00:03

@Aprovados. Pode adicionar à ficha!

4 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Ter 21 Abr 2015, 14:38

Local do treino: Área de Treino Taka.
Objetivo do Treino: Hana no Chakra, jutsus de escape.
Jutsu Aprendido:


Hana Kawarimi
(Substituição por Flores)
Quem Usa: Yamanaka Ino, Yuuhi Kurenai
Rank: D
Descrição: O usuario, quando atingido, se desfaz em dezenas de pétalas de flores podendo surgir em outro lugar

Hana Shunshin no Jutsu
(Técnica de Movimentação Rápida Entre Pétalas)
Quem Usa: Yamanaka Ino, Yuuhi Kurenai
Rank: D
Descrição: Uma habilidade que permite o usuário se transporte de uma área a outra em meio a uma cortina de pétalas.

Números de Palavras: Mínimo de 300 palavras.
Regra de Treinos: Treinamento de Jutsus, Treinamento de Bijuus


Depois do encontro com Allen e daquela sessão de treinos, Hinara estava pronta para mais novas técnicas. Ela precisava de técnicas simples, mas que poderiam ser úteis como forma de escapes, então lembrou que existiam alguns jutsus Hana que não eram exclusivos, então decidiu iniciar o treino a Hana ninjutsus. Ninjutsus baseados em flores. Ela iria ter que usar jutsus para escapar, eles são bem ágeis e eficases. Ela estava no corredor que ligava a entrada do local onde ela costumava treinar. Ela realizou apenas o selo do tigre e seu corpo se desfez em milhares de pétalas, formando uma cortina de pétalas. O corredor ficou repleto delas e em um instante ela estava dentro do local, se movimentou por entre as flores, como um tele transporte.  – Bom...muito bom. – ela sorriu começou a alongar seu corpo. Alguns ossos estralaram e isso era sinal que voltaram para o lugar de onde nunca deveriam ter saído. Esticou os braços para cima e retirou três metros de fio de sua bolsa; envolveu-os entre duas rochas formando uma cerca no meio delas. Voltou lentamente pegando certa distância e iniciou uma corrida até os fios e quando seu corpo entrou em contato com eles seu corpo se desfaz em dezenas de pétalas de flores que pairaram por entre os fios e ela apareceu do outro lado das rochas. - Hana Kawarimi, concluído! – sussurrou ela enquanto desfazia os nós dos fios e os guardava em sua bolsa.  O dia estava apenas começando, havia descansado bem aquela noite, o dia de treino hoje seria bem puxado, precisava se fortalecer, pois a hora de recrutar estava próxima, mas uma coisa que a incomodava, porque a imagem do kazekage não saía de sua cabeça?Algo dizia a ela que iriam ter problemas em breve. Será que Tatsu já a estava procurando? Clarke já sentira falta de sua colega de ala médica? Estava na hora de começar a usar os ninjutsus médicos, hora de treiná-los.. Seu treino ainda não havia acabado então ela voltou para o centro da sala de treino para continuar a treinar.

Local do treino: Área de Treino Taka.
Objetivo do Treino: Ninjutsus Médicos.
Jutsu Aprendido:


Jinsei no Kaifuku Sākuru
(Círculo de Recuperação de Vida)
Quem Usa:
Haruno Sakura e Uzumaki Karin
Primeira Aparição: Jogo Naruto Ultimate Ninja Storm 3
Rank: C ~ B
Selos: Carneiro e Tigre
Nota: Dura uma rodada inteira.
Descrição: Com os selos necessários o usuário criar um circulo a sua volta sendo ele o centro do mesmo, no chão o "Kanji" de médico aparece feito de chakra verde curativo. O jutsu dura em média de 8 minutos, onde o usuário se cura e cura seus aliados que estiverem dentro do circulo de tamanho mediano de 6 metros.


Enkaku Hiringu
(Cura a Distância)
Quem Usa:
Yakushi Kabuto
Primeira Aparição: Capitulo 234
Rank: B
Descrição: Kabuto concentra o chakra medicinal verde em sua mão sem a necessidade de usar selos de mão para tal coisa. O chakra é enviado para um aliado ou inimigo em um raio de até 5 metros do usuário, dessa forma recuperando e cicatrizando as feridas a longa distância.

Números de Palavras: Mínimo de 500 palavras.
Regra de Treinos: Treinamento de Jutsus, Treinamento de Bijuus

Felicidade.

Era isso o que ela sentia naquele momento fora a dor? Mas o que é a felicidade?
Mais uma vez volto a me perguntar.
A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo. Agora, eu como narrador não posso afirmar quanto tempo essa alegria vai durar, mas posso deixar aqui para você que está lendo o meu ponto de vista sobre tal assunto. Bom, eu acredito que nossa vida é uma busca. Uma busca incessante pela felicidade. Ela não tem data de validade nem data definida para começar ou acabar, ela simplesmente se instala em nossos corações e fica ali até nós tomarmos uma nova decisão. Essa por sua vez pode ser boa e fazer esse sentimento se prolongar ou, podemos escolher algo ruim que possa deixar a felicidade correr em nossa frente e depois para alcançá-la, pode ser demorado ou quem sabe, não é? Pode ser rápido.
A jovem estava vivendo momentos de descrença. Estava sozinha. Allen havia se trancado em sua sala e não saía mais. Estava preocupado com tudo o que havia acontecido. Para piorar boatos maldosos se espalharam pelos quatro cantos que o Hokage Sephiroth havia retornado dos mortos, mas como isso era possível? Ela não sabia, mas Allen talvez não fosse capaz de fazer o mesmo, então o dever dela era não o deixar morrer. Dentro do laboratório ela encontrou um pergaminho, aliás, essa menina lia tudo que via pela frente. Nesse pergaminho haviam duas técnicas médicas e ela decidiu que iria aprende-las a qualquer custo. Já havia praticado e agora queria mesmo apenas ver se havia fixado bem tudo que havia feito no laboratório.
“A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo.”
Vale resaltar como ela se sentia...estava em êxtase, então sabia que a busca pela paz estava mais próxima de ser concluída agora.
A palavra quando é criação desnuda. A primeira virtude da poesia tanto para o poeta como para o leitor é a revelação do ser. A consciência das palavras leva à consciência de si: a conhecer-se e a reconhecer-se.
A busca pelo conhecimento de seu verdadeiro eu estava cada dia mais intensa. Ela precisava se conhecer, a única parte que estava clara para ela no momento era que ela era irmã de Allen e o seu objetivo era defender o rapaz a qualquer custo.
Ela estendeu a mão, sem realizar nenhum selo... Apenas estendeu a mão e com os olhos fechados se concentrou. Sim. Funcionou. O chakra verde, medicinal, brotou de sua mão e seguiu em linha reta até seu tornozelo. Ela agora não precisava mais tocar para curar, conseguia mandar ajuda a certa distância. Em seguida se colocou ereta e realizou o in do tigre. Claro levou um tempo, mas o chakra agora se expandiu através de seu corpo. Enquanto ela estava parada, conseguia criar uma área de 360º de cura, a sua volta. O círculo era de mais ou menos seis metros e o melhor é que ela conseguia se curar dentro dele. Assim protegeria Allen, e a ela mesma.

5 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Ter 21 Abr 2015, 22:40

@Aprovados.

6 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Ter 28 Abr 2015, 17:24

Local do treino: Área de Treino Taka.

Objetivo do Treino: 7 Jutsus da semana.

Jutsu Aprendido:




Kasumi Enbu no Jutsu
(Técnica da Névoa Flamejante)
Quem Usa: Fuuma Kagerou, Yakushi Kabuto
Rank: C
Selos: Bode, Cavalo, Coelho, Tigre
Primeira Aparição: Episódio 141 Naruto Clássico
Descrição: O ninja solta pela boca um gás que queima ao tocar no fogo.



Ninpou - Doku Kiri
(Arte Ninja - Névoa Venenosa)
Quem Usa: Shizune, Sasori
Rank: C
Primeira Aparição: Episódio 93 Naruto Clássico
Descrição: O ninja solta uma nuvem roxa de veneno de sua boca. Com isso ele ganha tempo para se esconder e ainda envenena o inimigo.


Suiton - Haran Banshou
(Estilo Água - Tempestade Isoladora)
Quem Usa:
Fuuka
Primeira Aparição: Episódio Filler 68 (Shippūden)
Rank: B
Descrição: Essa técnica permite que o usuário invoque uma grande quantidade de água que parte por trás dele e inunda todo o campo de batalha. Se necessário, o usuário pode cancelar a técnica quando quiser.


Fuuton - Hanachiri no Mai
(Elemento Vento - Dança das Pétalas em Queda)
Quem Usa:
Fuuka
Rank: B
Selos: Dragão
Primeira Aparição: Episódio 68 Shippuuden
Descrição:Com este poder, pétalas começam a sair do solo juntamente com seu chakra e ar. Tais pétalas rodopiam com o ar em forma de um turbilhão até empurrar o inimigo com rapidez. Para utilizar este jutsu não são necessários muitos selos, apenas a do Dragão.


Shousen no Jutsu
(Técnica da Mão Mística)
Quem Usa:
Tsunade, Haruno Sakura, Yamanaka Ino, Yakushi Kabuto, Shizune, Rin e Ninjas Médicos
Rank: A
Descrição:
Esse é um jutsu médico de múltiplos propósitos, utilizado por ninjas médicos para curar ferimentos e fazer cirurgias. O usuário concentra chakra nas mãos e aplica sobre a ferida, acelerando a regeneração das células. Para outros propósitos, como o de cirurgias, o usuário do jutsu concentra o chakra em suas mãos como se fossem lâminas de chakra para fazerem os cortes necessários dentro do paciente, sem dilacerar a carne.
Para a cura, uma grande quantidade de chakra é utilizada; já para cortar, a quantidade de chakra é muito menor. Também é uma técnica muito utilizada em combate por ninjas médicos, pois não basta cortar o inimigo, precisa-se ter uma precisão incrível da parte do usuário para que o ataque seja efetivo.


Chakra no Mesu
(Facas de chakra)
Quem Usa:
Yakushi Kabuto
Rank: A
Descrição:
Com o chakra focalizado em suas mãos, o usuário pode fazer graves danos nos órgão internos de seu oponente caso o atinja. Essa técnica pode até matar, caso atingir o coração ou a garganta. Essa técnica não deixa danos externos.


Inyu Shometsu
(Recuperação Secreta da Destruição de Machucados)
Quem Usa:
Yakushi Kabuto e Uzumaki Naruto
Rank: A
Descrição:
Usando o chakra, Kabuto faz multiplicação celular, recuperando os danos que lhe foram causados; com o chakra da Kyuubi, Naruto e capaz de se regenerar de qualquer ferimento interno ou externo.



Números de Palavras: Mínimo de 3000 palavras.

Regra de Treinos: Treinamento de Jutsus, Treinamento de Bijuus

Treino:
E quando o dia amanheceu a ficha de jovem ainda não tinha caído. Ela tinha sido se tornado uma nukenin, encontrada seu primo / irmão e estava conseguindo desenvolver poderosas técnicas mesmo sem ter um sensei ao seu lado. “É quem diria Hinara” pensou ela em um pequeno e torto sorriso. Agora sim tinha deixado de ser uma sombra, tinha chegado o tempo dela, era hora de crescer. Sabendo que seu trabalho para se tornar uma grande ninja só estava começando, decidiu que não iria protelar e ia começar imediatamente a parar de chorar pelos cantos e se sentir impotente, era hora de provar ao mundo o poder de uma Hyuuga. Queria fazer sua própria história e provar seu valor, proteger Allen e o laço que construíram. Então, nas primeiras horas daquela manhã, Hinara já estava de pé e pronta para treinar, estava apenas terminando de escrever um bilhete para seu irmão dizendo que ia a sala de treino para executar uma série de exercícios para fixar os jutsus novos. Ela estava se acostumando com a idéia de um alguém para quem dar satisfação, explicar aonde ia, pedir para ir a algum lugar, afinal, ele era o irmão mais velho. A presença do rapaz era reconfortante e amenizava um pouco da tristeza que sentia por não ter sido criada pelos seus genitores.

Eu aprendi que há duas correntes de raciocínio na sociedade humana.
A corrente que diz que há coisas mais valiosas do que a vida humana,
e a corrente que diz que não há nada mais importante do que a vida.
Quando as pessoas começam a lutar, elas usam o pretexto de apoiarem a primeira corrente, e justificam que fazem parte da segunda corrente quando querem parar. E como narrador dessa história posso te garantir que até conhecer essa jovem, pensava dessa forma, mas ela dentre os mais de cinco milhões de habitantes deste planeta pensava diferente. Ela realmente acreditava que havia coisas mais importantes que a vida dela, Allen era. Naquele momento se tornar mais forte era o que era necessário. Era seu objetivo, seu foco. Não era hora de parar, martelar ou se quer duvidar, era hora de agir. Estavam quase de saída para Konoha e ela não sabia o que os esperavam lá, por isso era melhor estar aposta.

O poder para mudar o futuro que eu vi em um sonho uma vez não era o amor, não a paz, era o poder. Em meio ao barulho, eu podia ouvir sua voz de choro expondo minha fraqueza enquanto eu sorria. O caminho que você percorre, que nem mesmo você entende, é seguir um céu diferente. Sentir saudades da coragem para avançar para o futuro que nós mesmos perdemos no passado até retornarmos para o verdadeiro. Agora quando você sorri a cor perdida é a lembrança do passado distante; Se abrir a caixa de pintura gentilmente os amigos de infância sempre estiveram lá - Com o mesmo sorriso - Nossos sonhos desenhados nas telas de nossos corações ainda não perderam as cores.
Dando as mãos sentimos o calor do passado, eu acredito nisso. O passado estava batendo a sua porta, Konoha era seu passado. Iria estar perto dos que a expulsaram. Iria estar perto de sua origem, de sua família e eles nem saberiam quem ela era. Qual seria sua reação?
Porque as pessoas têm amor e ódio? Nós nascemos assim? Felicidade e tristeza estão entrelaçadas? O laço eterno da juventude é realmente eterno? A corrente de flores nuca murchara?
A lua silenciosamente diz, em uma voz inaudível por todos, nas recorrentes idas e vindas da maré, da longa marcha das minhas lembranças evanescentes.
As estrelas contam secretamente, em letras que ninguém reconhece, que de um redemoinho de palavras infinitas, centenas de bilhões de livros nasceram.
Para mim o céu é vasto demais e o ritmo de tempo é acelerado demais. Sim, acelerado demais e por isso devemos aproveitar o máximo possível dele.
Fazer valer a pena.  

Sem saber de nada, inutilmente reuni palavras que apenas irão apodrecer no solo. Mas ainda assim eu as clamo.
Erguendo minha voz, sem ter um porque, ao menos seus ecos podem chegar ao céu e antes de caírem ao solo, verão que o Sol voltará a nascer.

A escuridão assustadora respondeu que não há ninguém que tenha visto o futuro.
Eu ergo as mãos para o céu e agarro o vento gelado. Sopre para longe o desespero.
Tanto os sonhos, como a agonia para o passado.
Essa terra cochila no crepúsculo, enquanto eu sigo em frente, para o amanhã desconhecido.

No mesmo local que de costume a Kunoichi estava de pé. Como todas as manhãs. Hoje estava completando três semanas que havia deixado sua casa. Porém estava ali apenas para treinar agora, nada mais. Não queria pensar em nada, se distrair com nada, mas era meio que impossível. Iriam partir em breve e ela sentia que não estava pronta, queria estar, mas não estava, ou na verdade, julgava não estar. Quanto mais habilidade tivesse, mais força teria para impor seu plano a frente, porém no caso de agora, precisa estar preparada para o que desse e viesse. Não saberia como seriam recebidos em Konoha, sem contar que agora a essa altura, suas cabeças já estariam a prêmio e precisariam se defender.  Precisava mostrar que era forte o bastante para que pessoas a respeitassem, no mundo ninja respeito se conquista com medo.
Então aquele turbilhão de idéias veio passando em sua cabeça e sua sombra celha foi erguida. Seus longos cabelos se esvoaçavam para onde a brisa corria e seus olhos rapidamente se abriram. Ela realizou uma seqüência rápida de selos manuais. Seus dedos eram agéis, quase impossível de se acompanhar. Seus lábios se moverem rigidamente. - Kasumi Enbu no Jutsu. – Técnica da Névoa Flamejante. Era uma técnica simples, mas de muita utilidade para ela. Ela encheu seu pulmão de ar, moldou o chakra dentro do mesmo e soprou. Uma fumaça cinza densa saiu de sua boca. Em grande quantidade. Apenas fumaça? Ela sacou uma kunai e lançou para frente onde ela se chocou com uma pedra. O impacto do metal com a rocha gerou uma faísca e isso foi o necessário para causar uma grande explosão. Aquela fumaça não era uma fumaça comum, na verdade era um gás. Ele serviria tanto como uma forma de proteção como também poderia ser usado para desmaiar inimigos em locais fechados. Era um jutsu que já a deixou cheia de combinações para combate. Hinara estava radiante, mas ainda restava muita coisa para se dizer “ PRONTA! ”. Restavam seis jutsus para o treino de hoje ser concluído. O próximo jutsu tinha os mesmo conceitos desse anterior e sua eficácia também era a mesma. Tanto como distração ou mesmo aniquilação do inimigo. O que ela queria era poder acabar com o inimigo aos poucos, sem ter que usar muito esforço para isso. Então jutsus desse tipo a facilitariam nesse desejo.
Logo em seguida ela salta e realiza mais uma vez selos manuais. Seus pulmões se retraíram mais uma vez e ela outra vez tornou a soprar. - Ninpou - Doku Kiri. - Arte Ninja - Névoa Venenosa. Uma quantidade incrível de fumaça de colaração roxa saiu de sua boca. Cobriu a caverna por completo ela se afastou um pouco para manter a distância da mesma. A fumaça parecia se expandir estava aos poucos saindo por pequenas brechas nas rochas, a brisa estava se encarregando de limpar o local. A área médica lhe proporcionou muito conhecimento em venenos e plantas, então ela iria produzir algum antídoto que a tornasse imune a aquela fumaça. Permitindo com que ela caminhasse por entre a névoa. Então, quando isso fosse feito aquele jutsu seria muito mais que apenas distração seria também uma arma secreta. Ela estava feliz por ver seu progresso. Coisa que em Suna não estava conseguindo ter. Agora ela precisava procurar algumas ervas medicinal para trabalhar no antídoto ou alguma formula para torná-la imune ao efeito da fumaça venenosa. Porém, não poderia sair dali assim vestida daquela forma, precisava de um disfarce ou um novo visual – estavam sendo caçados ou seriam em breve – precisavam abandonar os antigos trajes, então decidiu que iria comprar novas roupas para ambos na primeira vila que passassem ou aldeia. Esse seria seu disfarce para vagar pelas aldeias enquanto estivesse sozinha.

Hinara estava para ali.  Sozinha. Pensando. Era hora de testar seus limites, ultrapassá-los na verdade. Uma gota de suor escorreu em sua face, da testa até as maçãs coradas de seu rosto. Havia dois pequenos pedaços de papel próximo a seus pés. Eram papeis de chakra, um estava se desfazendo, estava queimando e o último cortado.  Katon e Fuuton. A jovem agora era usuária de quatro elementos elementos e mais que nunca precisava desenvolver suas habilidades. Precisava treinar.  Aprender, se fortificar.  Já haviam se passado alguns dias desde que ela deixara Suna, com certeza já haviam a dado como desaparecida ou até mesmo, foragida. Isso com certeza. Ela havia mudado o cabelo, não cortou mais.  Estava mesmo determinada a mudar o rumo da humanidade e buscar a paz acima de qualquer coisa, mas para isso, precisava estar mais forte que nunca. Cada dia que se passava ela se dedicava mais e assim, ficava mais forte. Ela podia sentir seu chakra se agitar, sentia-se diferente. Precisava estar para poder ajudar Allen a recrutar mais pessoas para unir-se a causa, para isso precisava mostrar que ela não era como os outros, ela precisava impor medo, respeito.
Já era quase noite, ela estava ali treinando desde que acordara, estava exausta, mas não iria sair dali sem ter mais poder.  Já havia tentado aquela sequência mais de uma vez e aquilo a estava esgotando. Não sabia mais como realizá-la ou o que fazer para que ela desse certo.
Agora era à hora dela. Hora de buscar a paz o mundo ninja. A paz seria alcançada nem que fosse pela força, m as pessoas precisavam ver no que a guerra levaria essa nação. Ela precisava mostrar ao mundo que o poder resulta na paz. Unir o mundo em uma só nação. Uma forma de manter todas as vilas em paz, em um tratado. Presos por terem ninjas seus em uma organização onde há ninjas de outras nações também. Trabalhando em conjunto.
Não sabia mais como fazer para que concluísse aquela sessão de treino, pois ela havia prometido sair dali apenas após dominar todas aquelas técnicas. O futuro dependia dela, dependia daquele momento. Dependia apenas do seu esforço em dominar o máximo de técnicas possíveis. Ela não deixaria o legado daquele Hyuuga morrer, nem o da sua família. Era ela, junto a Taka, que deveria salvar a humanidade do ódio eterno. Era ela que havia prometido a Allen que seria a ponte que o levava ao seu sonho.  Se ela realmente queria que os planos do jovem Hyuuga dessem certo, ela deveria primeiramente então,  tornar-se o mais forte possível para recrutar novos membros e assim começar a colocar em prática a segunda etapa do plano.

As lembranças eram algo que não paravam de brotar em sua mente.
Ela estava parada. Seu corpo estava coberto por poeira e suor. A respiração estava mais ofegante que minutos atrás as lembranças mexeram com ela e isso a desestabilizou. Lembrar-se de tudo que havia passado simplesmente a deixou sem estrutura naquele pequeno e insignificante momento.

O local do treino era uma caverna com apenas uma entrada. Localizada na parte mais profunda da caverna existe uma área bem grande, plana. Alguns fósseis podem ser encontrados ali sobre a entrada. Os únicos com acesso a este lugar são os membros da Taka. Foi escolhida para ser o local para treinos dos membros por ser localizada no área mais funda da caverna, abafando o som de qualquer explosão ou jutsu, não chamando atenção de viajantes curiosos que passarem pelas redondezas. Os arredores eram planos, solo de pedra, liso, excelente para correr e treinar. Era meio escura e quente, a única entrada de luz era pela entrada da caverna. Os longos cabelos da jovem se esvoaçavam com a brisa suave que entrava ali. Seu corpo quente se arrepiava quando era afagado por ela, era quase como uma lâmina de uma katana aquela brisa, gelada.  Ela precisava desenvolver o máximo possível seu olhos e suas outras habilidades também. Naquele momento queria treinar ninjutsus elementais, explorar o máximo que pudesse dos pergaminhos que ela achara sobre a mesa da sala de reunião.  Ela estava ofegante e sentia seu coração bater cada vez mais forte. Cada membro do seu corpo latejava como nunca antes.
Ela estava de pé frente a quatro fantoches de palha com um alvo amarrado na barriga. Eles eram usados por ninjas para pratica de kunai e shuriken, mas ela os usava como alvo para ninjutsu. A distância entre eles era de seis (12) metros e ela acabara de se posicionar. Allen estava do seu lado praticando também, ela não queria fazer feio, iria mostrar a ele do que era capaz naquela hora. Do quanto estava disposta a depositar seus sonhos e forças nele.

A jovem se colocou de coque e sussurrou - Suiton - Haran Banshou! – uma grande quantidade de água que partiu por trás dela inundava o local. Parecia uma grande correnteza. A água caía atrás dela e se dividia em duas grandes colunas a sua lateral e indo por todos os lados inundando o local. Quando ela saltou, a água tomou conta daquele pequeno pedaço de solo onde ele estava que ainda não havia sido molhado. Sobre as águas agora, a kunoichi se posicionou. Fuuton - Hanachiri no Mai. – pétalas brotaram em suas costas e seu chakra as fez circular em forma de tornado que ela podia controlar, usou o poder de sucção do mesmo e absorveu um pouco de água para aumenta o poder de ataque do mesmo e o lançou sobre a parede da caverna. Um estrondo se pôde ouvir e com certeza, Allen viria chegar o que era aquilo. As portas eram lacradas, por isso a água não vazaria. Só espero eu que ele não a abra. Aos poucos aquela terra seca foi absorvendo toda aquela água, era mesmo incrível como ela conseguia engolir tudo aquilo de uma só vez.

Após alguns minutos ela pôs se a ler os pergaminhos que ela havia encontrado no laboratório. Queria aperfeiçoar seu Ioryn no Jutsu. Caso fosse necessário uma cirurgia ela estaria equipada agora com Shousen no Jutsue em combate teria uma técnica para ajudar a ganhar tempo. Já tinha Chuusuusei Biribiri e com o jutsu que o pergaminho citava - Chakra no Mesu – conhecidas como facas de chakras. O chakra se reprimi em uma fina lâmina e ele se torna tão eficaz quanto um bisturi. Com o chakra focalizado em suas mãos, o usuário pode fazer graves danos nos órgão internos de seu oponente caso o atinja. Essa técnica pode até matar, caso atingir o coração ou a garganta. Essa técnica não deixa danos externos. Era necessário muita precisão e ela a tinha e por último, mas de suma importância ela leu sobre usar o chakra para multiplicar as células regenerando machucados...e sim, ela conseguiu dominar esse jutsus mais rápido que os outros. O controle de chakra da jovem era incrível e isso a facilitava muito durante um treino ou mesmo em um combate.



Esgotada. Acabada. Sem força. Debilitada. Era assim que ela se encontrava naquele momento. Aos poucos ela sentiu sua visão falhar, seus olhos haviam mudado de cor e ela nem percebera. A única coisa que ela estranhou durante o treino foi que podia saber para que lados os impactos lançassem os fantoches e os via bem nitidamente. Naquele momento seus olhos voltaram ao seu prateado natural e a imagem da entrada da caverna pareceu se distanciar. A luz do lado de fora da caverna pareceu perder o brilho. Ela estava tão exausta que não seus olhos se recusavam a obedecê-la e focar em alguma coisa. Aos poucos suas vistas foram escurecendo e enfim apagou. Seus pés se desprenderam da parede do chão e a força a abandonou, não havia mais chakra para mantê-la ali de pé, então ela despencou ao chão abaixo. A velocidade da queda foi aumentando e enfim ela se chocou com o chão, mas segundos ela pode sentir alguém a segurando.      

Felicidade.

Era isso o que ela sentia naquele momento fora a dor? Mas o que é a felicidade?
Mais uma vez volto a me perguntar.
A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo. Agora, eu como narrador não posso afirmar quanto tempo essa alegria vai durar, mas posso deixar aqui para você que está lendo o meu ponto de vista sobre tal assunto. Bom, eu acredito que nossa vida é uma busca. Uma busca incessante pela felicidade. Ela não tem data de validade nem data definida para começar ou acabar, ela simplesmente se instala em nossos corações e fica ali até nós tomarmos uma nova decisão. Essa por sua vez pode ser boa e fazer esse sentimento se prolongar ou, podemos escolher algo ruim que possa deixar a felicidade correr em nossa frente e depois para alcançá-la, pode ser demorado ou quem sabe, não é?Pode ser rápido.
O quão longe um indivíduo poderia ir por um outro alguém? Onde encontram tanta força para protegerem quem ama? O quão poderoso é o laço que uni duas almas? Estas perguntas martelavam um fino prego sobre a própria existência do universo, afinal, qual seria o limite de uma existência terrena? Poderiam os meros mortais desbravarem o campo da quarta dimensão e desafiar a própria morte? Poderiam eles contrariarem um Deus?! Isso nos redirecionaria a outra grande pergunta, o que é um Deus? Seria algo tão imensurável que os humanos não podem nem ao menos se perguntar? O QUE É UM DEUS? "Um Deus é algo tão grande que os humanos não podem entender, não podem nem sequer tentar compreender". Essa é a definição de um ser celestial tão incontestável como a imortalidade, a força mais bela e imponente da natureza, algo que todos os Deuses possuem... Mais acredito, na verdade me fizeram acreditar, que todos os humanos possuem algo de imortal escondido em seus corações, algo que os faz tão grandes quando os celestes, algo que supera a penta-dimensão, então de certo modo, todos os humanos também possuem um pequeno Deus dentro de si. A existência da vida, algo que podem fazer queimar tão intensamente que em um último suspiro podem atingir à uma fração dessa imortalidade... Mais apesar de tudo, continuam a serem apenas mortais, fracos e pequenos, gananciosos e injustos, apenas homens. Mais o que é um homem se não uma pequena e miserável pilha de segredos?

A extensão complexa dos derivados celestiais atordoava a cabeça de Hinara, humanos estavam dispostos a morrerem por seus iguais sem sequer se questionar. Aquilo o fazia enxergar a própria existência com outros olhos. Emergia do barro como seus antepassados fizeram, mostrava-lhe sua face ao sol, seus soldados vieram do pó e ao pó voltaram, excepto um, um único ser que residia em sua sombra; com seus cabelos balançando ao vento avermelhados como sangue, um olhar calmo e sereno mais que já cultuaram o ódio e a guerra. Um filho do Deserto, é o que ele era, é o que ele sempre será. Temam diante seu lorde, temam diante a morte.

O vento soprava.    
Palavra eram ditas.  
Carregadas pelo ar.          
Ela estava acordando, nos braços da felicidade, se colocou de pé e se viu perante um amigo...    

Agora ela estava armada e equipada com jutsus poderosos... Poderia enfrentar muita coisa. Poderia estar diante de uma luta incrível que seria capaz de se virar.

“A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vão desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo.”

Vale ressaltar como ela se sentia...estavam em êxtase, então sabia que a busca pela paz estava mais próxima de ser concluída agora.
A palavra quando é criação desnuda. A primeira virtude da poesia tanto para o poeta como para o leitor é a revelação do ser. A consciência das palavras leva à consciência de si: a conhecer-se e a reconhecer-se.

Sem saber de nada, inutilmente reuni palavras que apenas irão apodrecer no solo. Mas ainda assim eu as clamo. Erguendo minha voz, sem ter um porque, ao menos seus ecos podem chegar ao céu e antes de caírem ao solo, verão que o Sol voltará a nascer. Ela sabia que se falasse a Allen tudo que sentia, tudo que queria de nada ia adiantar apenas então, treinou, se esforçou, ainda podia fazer mais para mantê-lo seguro.
Depois de tudo aquilo, a escuridão assustadora que estava em seu coração respondeu que não há ninguém que tenha visto o futuro. Eu ergo as mãos para o céu e agarro o vento gelado. Sopre para longe o desespero.
Tanto os sonhos, como a agonia para o passado. Essa terra cochila no crepúsculo, enquanto eu sigo em frente, para o amanhã desconhecido.

7 Re: Área de Treinamento para membros Taka em Ter 28 Abr 2015, 22:07

@Aprovados. Pode adicionar à ficha


Conteúdo patrocinado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum